Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 17 de setembro de 2018. | Atualizado em 22 de março de 2019


A tomada de decisões eficientes é uma das características mais marcantes de um bom gestor. Porém, não é possível atingir tal objetivo apenas com base em suposições. Por isso, saiba como aplicar a análise SWOT no Marketing Digital e potencialize os seus resultados!

Se você trabalha com a gestão de algum tipo de empreendimento, sabe a importância de tomar as decisões mais eficientes para resolver problemas e impactar positivamente o desempenho da empresa. Sabe também que o processo de decisão não pode ser baseado apenas em intuição. Por isso, uma análise profunda da situação interna e externa é sempre necessária.

A análise SWOT — também conhecida como FOFA em português — é uma técnica utilizada exatamente com esse fim. Por meio de seu uso, os gestores de uma empresa contam com uma base analítica para criar ou modificar suas estratégias comerciais.

Neste texto, mostraremos a definição, os objetivos e os benefícios dessa abordagem. Além disso, vamos explicar a importância da análise SWOT no Marketing Digital e providenciar 5 dicas para sua implementação. Confira!

Qual a definição de análise SWOT?

Para começar, vamos entender o que significa esse nome. Cada uma das letras representa um dos 4 fatores considerados essenciais para a análise. Por isso, vamos ver o que quer dizer cada letra e seu significado em português:

  • Strengths: força;
  • Weaknesses: fraquezas;
  • Opportunities: oportunidades;
  • Threats: ameaças.

Pelos significados já é possível ter uma ideia do que se trata esse tipo de análise, concorda? Ela lista os pontos positivos e negativos do seu negócio, tanto do ponto de vista interno quanto externo.

O que isso quer dizer? Ora, sabemos que o desempenho de uma empresa depende tanto das características do mercado em que ela está inserida quanto dos procedimentos utilizados internamente.

Assim, podemos separar os fatores internos e externos da seguinte forma:

  • internos: pontos fortes e pontos fracos;
  • externos: oportunidades e ameaças.

Adotar a análise SWOT é, portanto, uma forma de o empreendedor realizar um mapeamento completo de tudo o que tem potencial de impactar a performance de seu negócio, tanto no presente quanto no futuro. Geralmente, a análise dos elementos internos diz respeito às características do presente, enquanto a dos externos busca prever o que pode acontecer.

Assim, além de possibilitar melhorias na estrutura da companhia ao identificar seus atuais pontos fortes e fracos, a análise torna possível a identificação de oportunidades que podem vir a ser aproveitadas e de ameaças que precisam ser neutralizadas.

Quais são os benefícios da análise SWOT?

Ter o entendimento do mercado em que sua companhia está inserida e compreender seus pontos fortes e fracos são fatores essenciais para o gestor conduzir o empreendimento de maneira mais eficiente.

Ao utilizar a análise SWOT, você ganha uma visão clara sobre as fraquezas internas da empresa, o que é a única forma efetiva de trabalhar em soluções para resolvê-las. Por outro lado, enxergar as áreas que estão funcionando bem traz insights que servem como base para melhorias em diversos setores.

Em relação aos fatores externos, a análise permite que você se prepare com antecedência para as oportunidades que vão surgir no mercado. Por exemplo: digamos que a SWOT revele que uma das tendências do mercado é o surgimento de um novo nicho. Ao identificar isso cedo, você pode preparar seus produtos para serem inseridos no novo mercado.

No que se refere às ameaças, o raciocínio é parecido. Lembremos das famosas locadoras de filmes em VHS, como a Blockbuster. Antes gigantes, hoje elas se limitam a minúsculas frentes de atuação, já que seu produto principal se tornou obsoleto. Uma análise SWOT poderia ter previsto essa situação, forçando os donos das locadoras a se preparar para a grande mudança que estava por vir.

Por que aplicar a análise SWOT no Marketing Digital?

Agora, vamos nos voltar ao ambiente do Marketing Digital. Qual é a característica mais marcante dos hábitos de consumidores e tendências de mercado no ambiente digital? Concorda que a resposta é sua natureza altamente mutável? É só fazer uma retrospectiva e notar como a internet vem modificando as relações entre clientes e marcas.

Quer um exemplo? Pense na produção de conteúdo para redes sociais. Quando foram lançados, o Facebook e o Instagram não aspiravam se tornar plataformas de relacionamento entre empresas e consumidores. Contudo, com o passar do tempo, seu potencial para tal função ficou cada vez mais claro. Hoje, se sua marca não está presente em uma dessas redes, ela é virtualmente inexistente.

Portanto, podemos dizer que a realização de uma análise SWOT alguns anos atrás indicaria as redes sociais como uma oportunidade para se aproximar do público. Hoje, isso já é uma realidade estabelecida.

Então, em um ambiente que tem suas características alteradas cada vez mais rapidamente, realizar uma análise capaz de prever oportunidades e ameaças é completamente essencial para a manutenção do sucesso de um produto ou empresa. Como isso pode ser feito? É o que vamos abordar a seguir.

Pesquisas de MarketingPowered by Rock Convert

Como realizar a análise SWOT no Marketing Digital? Veja 5 dicas

Agora que você sabe o que é a análise SWOT e entende sua importância, vamos passar 5 dicas importantes para sua aplicação na prática, incluindo perguntas que podem ser feitas para potencializar o processo.

1. Reúna as pessoas certas

Em geral, estudos que indicam os rumos de uma estratégia são realizados exclusivamente pelas partes competentes no assunto. Não é exatamente o caso da análise SWOT. Nessa situação, não há um limite para o número de pessoas envolvidas: quanto mais insights, melhor.

Portanto, inclua as pessoas do seu time e também clientes no processo. Até mesmo opiniões de pessoas que não têm conhecimento profundo sobre suas atividades podem gerar conclusões importantes para sua estratégia.

2. Realize uma sessão de brainstorming

Esse é um procedimento comum para quem trabalha com marketing. O brainstorming — que pode ser livremente traduzido como “tempestade de ideias” — é uma atividade em grupo que tem como objetivo produzir insights para a resolução de um determinado problema. Portanto, é importante envolver um bom número de participantes.

Aqui, há duas formas de abordagem. Grupos pequenos podem, juntos, listar o que consideram como pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades. No caso de grupos muito grandes, por questões de praticidade, vale a pena solicitar que cada indivíduo crie sua própria lista e a entregue ao final da sessão.

É importante ressaltar que uma sessão de brainstorming não deve — ainda — prestar atenção na importância, relevância ou pertinência de cada observação. O importante é reunir o máximo de insights possível e registrar todo o processo.

3. Faça as perguntas certas

Incentivar o início de uma sessão de brainstorming pode ser um desafio. É comum que os integrantes não se sintam confiantes em compartilhar suas ideias ou simplesmente não saibam por onde começar. Para isso, contar com alguém capaz de realizar perguntas para guiar o compartilhamento de insights pode ser essencial.

Os pontos fortes são fatores internos que afetam de forma positiva a performance de um negócio e suas estratégias. Para incentivar a geração de ideias, as seguintes perguntas podem ser utilizadas:

  • o que somos bons em fazer?
  • qual é nosso principal diferencial em relação ao mercado?
  • o que fazemos que ninguém mais faz?
  • quais vantagens são oferecidas a nossos colaboradores?
  • de que nossos clientes mais gostam em relação à nossa empresa?
  • qual é a nossa vantagem competitiva?

Já os pontos fracos são fatores que afetam negativamente a empresa. Eles podem ser difíceis de modificar, mas devem estar sempre sob o controle dos gestores. Algumas perguntas para gerar ideias de pontos fracos são:

  • o que nossos concorrentes fazem melhor que nós?
  • quais são as reclamações de nossos clientes sobre nossos serviços?
  • quais desvantagens são encaradas por nossos colaboradores?
  • o que está impedindo nosso crescimento?
  • quais recursos nos faltam?
  • o que podemos fazer para melhorar?

O terceiro ponto de uma análise SWOT são as oportunidades. Trata-se de fatores externos que podem ser utilizados para fortalecer seu negócio. Para incentivar a criatividade e gerar insights de oportunidades, você pode usar estas perguntas:

  • quais mudanças na regulação poderiam ajudar nosso negócio?
  • o mercado vem demonstrando algum tipo de mudança?
  • o atual cenário econômico vai nos afetar de forma positiva?
  • quais oportunidades ainda não exploramos?
  • quais novas oportunidades podem se tornar acessíveis?
  • há uma forma de diminuir nossos custos?

O último ponto da análise são as ameaças. Assim como as oportunidades, elas são fatores externos que não se encontram sob controle da gestão. Ainda assim, é possível se preparar para lidar com elas. Confira perguntas para incentivar um brainstorming:

  • quais são nossos principais concorrentes?
  • existem novos integrantes no mercado que podem prejudicar nosso negócio?
  • nossa base de consumidores está diminuindo?
  • a indústria está seguindo um caminho que pode nos prejudicar?
  • nossos custos de produção estão subindo?
  • nossos fornecedores são realmente confiáveis?
  • existem novas tendências que podem prejudicar nosso negócio?

Ao final da sessão, você deve contar com um número suficiente de insights para preencher algumas páginas. Tão importante quanto anotar tudo é saber no que se deve prestar mais atenção.

Confira essas leituras sobre planejamento estratégico e potencialize ainda mais seus resultados!
👉 Análise de concorrentes para uma estratégia consistente de conteúdo
👉 Matriz BCG: a solução para gerenciar os produtos da sua empresa!
👉 Gestão de Custos: como fazer e quais os erros mais comuns

4. Filtre as informações

É chegada a hora de diminuir o volume de informações obtidas. Esse processo só deve ser iniciado quando as ideias de todos os membros tiverem sido esgotadas. É a oportunidade perfeita para você e os membros do time realizarem perguntas com o objetivo de determinar a importância de cada um dos itens levantados.

Portanto, peça a todos do grupo que escolham os itens que consideram mais importantes em cada categoria (pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças). A expectativa é que um padrão seja revelado, demonstrando os insights que, segundo sua equipe, têm mais peso que os outros.

No fim, você deve ser capaz de organizar uma matriz 2 x 2, que pode ser exibida em apenas uma página. Dois pontos devem ser considerados antes de definir as informações que serão filtradas: a importância do fator em questão e a possibilidade real de ele se concretizar.

Lembre-se de não descartar os itens que foram deixados de fora da matriz. Embora eles possam ser irrelevantes no momento, saber de sua existência vai garantir que você não deixe passar nenhum item essencial. Além disso, o que é pouco importante agora pode se tornar fundamental no futuro.

5. Crie estratégias

Para cada um dos itens que sobreviveram ao processo de filtração, crie uma estratégia para lidar com suas implicações. Estabeleça formas de explorar vantagens e oportunidades, assim como maneiras de prevenir ameaças e suavizar as fraquezas.

Essas estratégias iniciais não precisam ser muito complexas ou explicativas. Elas podem ser exploradas de forma mais profunda por setores mais competentes para isso. No momento, basta criar um plano de ação superficial.

Por exemplo, digamos que uma das fraquezas apontadas durante o processo seja o ambiente contraprodutivo da empresa. Você pode decidir, então, pela contratação de um consultor de RH para ajudar a mudar o cenário.

Ou imagine que o lançamento da Lei Geral de Proteção de Dados vai impedir que você continue a utilizar as informações de usuários da forma como vinha fazendo. Saber disso com antecedência é importante para o desenvolvimento de uma solução.

Tenha em mente que cada fator pode trabalhar para balancear os efeitos de outro. Isso significa que seus pontos fortes podem ser usados para neutralizar os fracos, enquanto as oportunidades que você explora podem anular as ameaças.

A análise SWOT no Marketing Digital é fundamental para manter a eficiência de suas estratégias, otimizar seus pontos fortes e neutralizar os pontos fracos. Além disso, ao identificar as ameaças e oportunidades, o gestor passa a contar com uma base confiável para tomar decisões que vão mudar o rumo das estratégias e da atuação da empresa no mercado.

Em um ambiente de natureza extremamente mutável, contar com esse recurso é fundamental.

E aí, pronto para aplicar a análise SWOT em sua estratégia de Marketing Digital? Aproveite que está por aqui e dê continuidade ao seu aprendizado. Que tal dar uma olhada neste artigo que ensina como fazer um planejamento estratégico em sua empresa? Vamos lá!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *